segunda-feira, 19 de março de 2012

Marcha da Maconha 2012: pelo fim da guerra e por outra política de drogas

Clique no botão 'play' e assista um excelente vídeo

Marcha da Maconha 2012: pelo fim da guerra e por outra política de drogas

Em 2008, 2009 e 2010 foi a mordaça, em 2011 as bombas. Fomos proibidos pela justiça, estigmatizados por parte da mídia e por políticos e até ameaçados por neonazistas, mas nada disso impediu a consolidação da Marcha da Maconha como um dos principais movimentos sociais brasileiros. Ano passado marchamos em 20 cidades pelo país, e nosso grito colorido e pacífico em defesa de outra política de drogas obrigou o STF a se posicionar contra qualquer proibição à nossa manifestação.
Deixando a defensiva, os tribunais e os cassetetes no passado, temos agora um mundo de possibilidades pela frente e uma mentalidade conservadora e proibicionista para transformar. Nossa repressiva política de drogas só não fracassou em encher os bolsos de corruptos, as cadeias de pobres e os cemitérios de corpos – de resto, é um incontestável absurdo que só semeia violência e intolerância pelo mundo. “Basta de guerra!”, novamente vem dizer a Marcha da Maconha, desta vez no dia 19 de maio, com concentração no MASP (Av.Paulista).
Enquanto drogas legais são regulamentadas e controladas, crimes relacionados a drogas ilícitas são os que mais encarceram pessoas no Brasil. O consumo não é afetado, o abuso não é bem tratado e o povo é pessimamente informado sobre os potencias benéficos e maléficos destas substâncias. E a violência segue vitimando a todos. É contra isso que se levanta a Marcha da Maconha São Paulo, defendendo uma cultura de paz, informação, diálogo e ativismo.
Somos um movimento social autônomo organizado desde 2007 em rede pelo Brasil, de maneira horizontal, sem lideranças e hierarquias, e sem ligação com empresas, partidos políticos e grupos religiosos. Assim como os efeitos da proibição afetam toda sociedade, acreditamos que a defesa de mudanças na política de drogas é uma demanda de todos, sejam usuários ou não, jovens ou idosos, trabalhadores ou desempregados, moradores do centro ou da periferia.
Fonte: Catarse - Marcha da Maconha SP 2012


2 comentários:

Imeicosan Verdf disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
MolhoVerde disse...

Fumo a 20 anos eu vou continuar fumando, nao gosto de financiar o trafico, mais se para min é mais seguro comprar do traficante, porque se eu for pego passo por usuario, agora se for pego por plantar arrisco de ser considerado traficante. Morre trafica, morre policia, morre inocente, q se fodam, importante q eu continue fumando, se querem morrer q morram, o que mata sao as armas de voces, maconha nunca matou nem vai matar ninguem. Continuem com a guerra, e eu continuo com o traficante.