sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Mediação é / Mediação não é



Toda mediação, copiando Clarice Lispector, é feita de infinitos detalhes com que se tem que ter cuidados.
A mediação, ainda que a consideremos como um recurso alternativo do judiciário, não pode ser concebida com as crenças e os pressupostos do imaginário comum dos juristas. A mentalidade jurídica termina convertendo a mediação em uma conciliação.

Mediação é
Mediação não é
A inscrição do amor no conflito
Uma resolução psico-analítica dos conflitos
Uma forma de realização da autonomia
Um litígio
Uma possibilidade de crescimento interior através dos conflitos
Um modo normativo de intervenção nos conflitos
Um modo de transformação dos conflitos a partir das próprias identidades
Um acordo de interesses
Uma prática dos conflitos sustentada pela compaixão e pela sensibilidade
Um modo de estabelecer promessas
Um paradigma cultural e um paradigma específico do Direito

Um Direito da outridade

Uma concepção ecológica do Direito

Um modo particular de terapia

Uma nova visão da cidadania, dos direitos humanos e da democracia


Warat, Luis Alberto. O ofício do mediador. Florianópolis: Fundação Boiteux, 2004, p. 67

Nenhum comentário: